Como tratar cada tipo de estria

Lembrando que estrias são lesões que surgem pelo rompimento das fibras elásticas e colágenas, que acontecem quando há um estiramento repentino da pele, no entanto, é preciso saber que elas podem ser de diferentes tipos e, cada um deles, exigindo um tratamento específico.

Pois bem, embora a gravidez seja a principal, e mais comum, causa das estrias, não podemos deixar de citar o ganho de peso, rápido aumento dos músculos devido à musculação, estirões de crescimento, efeitos colaterais de medicamentos, colocação de próteses de silicone, fator genético, também, como suas principais causas.

Tipos de estrias

Para quem não sabe, existem três tipos de estrias:

  • vermelhas ou arroxeadas,
  • brancas superficiais e estreitas,
  • brancas profundas e largas.

Enquanto as vermelhas ou arroxeadas são aquelas mais recentes, logo, mais fáceis de tratar, já que existe ainda sangue circulando no local, e o tecido não foi totalmente lesionado.

Porém, com o tempo, as linhas vão perdendo a tonalidade e se tornando esbranquiçadas, nesse caso, o tratamento precisa ser mais intenso, agredindo a pele para poder estimular a produção de colágeno e elastina, que farão a cicatrização interna das estrias.

Quando as estrias são largas e profundas, então, nesse caso, elas são mais antigas, sendo preciso apelar para métodos mais invasivos, justamente, para estimular o preenchimento das estrias, de dentro para fora.

Alguns tratamentos para estrias:

Laser fracionado (Estrias brancas superficiais e estreitas)

Nesse tratamento, são direcionados feixes de luz para a estria, penetrando na pele e, assim, estimulando a produção de colágeno e elastina, acelerando todo o processo de cicatrização.

Logo após a primeira sessão, já é possível perceber uma melhora de até 30% nas estrias, e o tratamento completo melhora até 80%. É indicado para estrias brancas superficiais e estreitas.

Além do laser, existem também alguns cremes, e o silk skin funciona muito bem para tratar as estrias e deixar a pele linda.

Subcisão (estrias brancas largas e profundas)

Esse método é cirúrgico ambulatorial, e é feito com uma agulha com ponta cortante para deslocar a derme profunda, provocando um trauma, dessa forma, estimulando a produção de colágeno e recuperação parcial da estria, reduzindo sua largura e profundidade.

Os resultados só são visíveis após 30 a 60, justamente, o tempo que o colágeno demora para se regenerar.

Microagulhamento (estrias vermelhas ou arroxeadas e estrias brancas superficiais e estreitas)

Esse tratamento é feito através de agulhas finas, promovendo microfuros, os quais facilitam a permeação de cremes e medicamentos, visando induzir a produção de colágeno através das microlesões, que geram um processo inflamatório.

Esse método promove uma melhora de até 80% na textura e coloração da pele.

Cuidados extras

 

Controlar o peso

Para evitar o surgimento das estrias, a principal dica é ter o peso sob controle, evitando o efeito sanfona, que é quando a pele sofre grandes distensões.

Hidratantes

Outra dica é investir em cremes e óleos hidratantes que, embora não haja evidência científica de que previna as estrias, sem dúvida, ajuda a deixar a pele mais saudável.

Lembrando que tratamentos mais invasivos como, lasers, peelings mais profundos e alguns tipos microagulhamentos, só devem ser realizados por médicos.

Categories: Beleza

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *